Páginas

3 de junho de 2012

CASO RONALDINHO


Ronaldinho - Flamengo
Alexandre Loureiro - VIPCOMM

Pode-se condenar Ronaldinho Gaúcho de diversas formas: acusá-lo de fazer corpo mole nos últimos meses, de falta de profissionalismo, e até de mostrar incoerência entre discurso e prática, no episódio que levou a seu desligamento do Flamengo. O clube carioca, porém, ainda é o elemento mais negligente da queda-de-braço, e deixa bem claro que ainda não sabe ser administrado.



O fim da era ISL na Gávea foi fortemente sentido no clube, que passou alguns anos como mero coadjuvante no Campeonato Brasileiro, sem conseguir o aporte financeiro para formar grandes equipes. A solução da gestão Márcio Braga? Investir ainda mais em futebol. Deu certo: o Fla voltou a ser competitivo, venceu Copa do Brasil e Brasileirão e mostrou novamente a cara na Libertadores. Tudo ia às mil maravilhas, mesmo que os desmandos administrativos custavam aos rubro-negros alguns tropeços no meio do caminho.

Os R$ 40 milhões não se referem apenas à dívida por Ronaldinho. É o saldo de todas as incoerências cometidas na gestão do clube na última década

A conta veio, e cobrou caro. Os R$ 40 milhões não se referem apenas à dívida por Ronaldinho. É o saldo de todas as incoerências cometidas na gestão do clube na última década. A falta de bom senso é tanta que Patrícia Amorim parece não compreender o momento delicado que vive a instituição, tentando se opuser a algo sabendo que está errada. O público não pode ser ingênuo a ponto de defender tal discurso: todos sabem que a dívida existe, e que é do direito do profissional requerê-la, apesar do questionamento moral de suas atitudes.

Em uma palestra, o vice-presidente de marketing do Internacional, Jorge Avancini, fez uma defesa ferrenha de um modelo profissionalizado da gestão nos clubes de futebol, temendo por aqueles que se colocassem na contramão dessa tendência. O Flamengo é, portanto, uma instituição ultrapassada, em que nada se resolve, nada se aprende, nada se planta, nada se colhe. A bomba que estoure na mão do próximo presidente.

O Fla é um clube que deve. Deve explicações, e uma gestão um pouco melhor, a seu torcedor.
Fonte: GOAL . COM
Postar um comentário